professores-395
tarcisio
tarcisio-350

Compositor, arranjador, instrumentista (violão e contrabaixo) e poeta. Licenciado em Música (UECE, 1981). Ex-Professor de Contraponto e Harmonia do Curso de Extensão em Música, Instituto de Cultura e Arte – ICA, da Universidade Federal do Ceará (UFC), até 2006, quando o "CEM" desembocou no Curso de Educação Musical da UFC. Compôs a primeira ópera cearense, “Moacir das sete mortes (ou a vida desinfeliz de um cabra da peste)”, com libreto de Oswald Barroso, publicada em 2009 pelas Edições UFC. Criou arranjos, para gravações e concertos, das obras de diversos artistas cearenses, como Eugênio Leandro, Pingo de Fortaleza, Daniela Montezuma, Nonato Luiz, Coral da UFC, Coral Zoada, Orquestra de Cordas Eleazar de Carvalho, entre outros. Foi professor de Violão e de Harmonia em diversas Escolas (ou Cursos Livres) de Fortaleza e/ou do interior, como SESI, Polo de Música de Messejana, Escola de Música Branca Bilhar (Crato/Ce), Festival Música na Ibiapaba (SECULT/CE, Inst. Dragão do Mar), em 2011, 2012 e 2013. Envolvido no movimento de música nordestina de raiz, ou Música/Cultura Popular Nordestina, já participou de diversos grupos como o Quartetupan, em 1977/78 e o Quart’ETON, em 1987.

Esperantista, membro do movimento nacional e internacional de cultores e divulgadores da língua, ganhou diversos prêmios e menções honrosas por sua produção lítero-musical em Esperanto, em diversos concursos especializados (Barra do Garças/MT, 1995; Tempere/FR, 1995; Praga/Rep. Tcheca, 1996; Tel-Aviv/IL, 2000; etc…) Lançou, em 2001, o CD “Verdastelaj Brazilaĵoj” — “Brasileirices na Estrela Verde”, uma coletânea de canções autorais em Esperanto. Atualmente participa do Quinteto Agreste (do qual foi co-fundador, em 1974, atuando até 1976 e reiniciando as atividades em 2002) como vocalista, instrumentista, arranjador e diretor musical.

rodape-1100x217